FANDOM


A Faiança de Estremoz é uma cerâmica de cobertura estanhífera e pintada, sendo o produto de uma fábrica existente no fim da Rua Brito Capelo, onde é hoje o Hotel Pateo dos Solares, que laborou, grosso modo, entre 1773/4 e 1806/10.

Foram Mestres da Fábrica o pintor Sebastião Gavixo (1773/74 a 1775), José Freme da Roza (1773/74 a 1806/10) e Joaquim Freme da Roza (1773/74 a 1806/10).

As peças saídas desta unidade são numa primeira fase fundamentalmente pintadas em azul sobre fundo branco, havendo no entanto algumas peças policromadas. Uma parte delas têm a marca do pintor no reverso –“CX” e outras têm o nome de “Estremoz”. Numa segunda fase, quando em 1775 Gavixo se mudou para a Fábrica de Miragaia (Porto), a policromia assume a quase totalidade da produção e deixa de aparecer a marca com as iniciais “CX”, ficando apenas “Estremoz”.

A pintura das peças é diversificada, a cozedura por vezes é pobre. Os motivos pintados são essencialmente de cariz fitomórfico e por vezes antropomórficos. A paisagem assume também um lugar de destaque, assim como motivos geométricos (por exemplo "arroz doce"). Raros são os exemplares com zoomorfias.

Até às primeiras décadas do século XX, quando se procurou dar novamente vida à Faiança de Estremoz, ninguém conseguiu recuperar esta arte. A Olaria Alfacinha foi a protagonista de uma tentativa. Um dos membros desta família de oleiros de Estremoz (com raízes em Lisboa), Deocliciano, chegou mesmo a ir tirar um curso a Coimbra relativo às técnica de faiança. No entanto, quando procurou aplicar as técnicas aprendidas falhava, pelo que após várias tentativas a família Alfacinha desistiu.

Também Emídio Viana, famoso oleiro estremocense, procurou recriar esta tipologia de faiança, mas nunca conseguiu apurar a técnica de forma a que a loiça tivesse o mínimo de qualidade. Até à década de 90 do século passado, mais ninguém procurou recuperar este artesanato. No entanto, nesta mesma década, incentivadas pelo Prof. Joaquim Vermelho, as Irmãs Flores fizeram um esforço significativo para recuperar esta Faiança. O Sr. Sousa, esposo de Perpétua, foi estudando os modelos e as técnicas relacionadas com a Faiança de Estremoz, até que se formou a oficina na Zona Industrial de Estremoz. Finalmente, em 2002, a oficina estava pronta a laborar. Depois de seleccionarem duas pintoras, começaram a experimentar as técnicas que entretanto tinham estudado. O projecto teve o seu fim em 2006.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória